Orixás

07/06/2016

todos

ORIXÁS

Os orixás são deuses africanos que correspondem a pontos de força da natureza e seus arquétipos estão relacionados às manifestações dessas forças. A característica de cada orixá os aproxima dos seres humanos, pois eles se manifestam por meio de emoções como nós. Sentem raiva, ciúmes, amam em excesso; são passionais. Cada orixá tem ainda seu sistema simbólico particular, composto de cores, comidas, cantigas, rezas, ambientes, espaços físicos e até horários. Como resultado do sincretismo, que se deu durante o período da escravidão, cada orixá foi também associado a um santo católico, devido à imposição do catolicismo aos negros. Para manterem seus deuses vivos, viram-se obrigados a disfarçá-los na roupagem dos santos católicos, os quais cultuavam apenas aparentemente.

Estes deuses da natureza são divididos em quatro elementos – água, terra, fogo e ar. Alguns estudiosos ainda vão mais longe e afirmam que são 400 o número de orixás básicos; divididos em 100 do fogo, 100 da terra, 100 do ar e 100 da água, enquanto que, na astrologia, são 3 do fogo, 3 da terra, 3 do ar e 3 da água. Porém, os tipos mais conhecidos entre nós formam um grupo de 16 deuses. Eles também estão associados à corrente energética de alguma força da natureza. Assim, Iansã é a dona dos ventos, Oxum é a mãe da água doce, Xangô domina raios e trovões, e outras analogias.

Na Umbanda e no Candomblé são cultuados muitos outros orixás, desconhecidos por leigos, por serem menos populares do que Xangô, Iansã, Oxóssi e outros, mas com um significado muito forte para os adeptos dos cultos afro-brasileiros. Alguns são necessariamente cultuados a partir da sua ligação com trabalhos específicos que regem; para a saúde, morte, prosperidade e diversos assuntos que afligem o dia a dia das pessoas. Estes deuses africanos são considerados intermediários entre os homens e Deus e, por possuírem emoções tão próximas dos seres humanos, conseguem reconhecer nossos caprichos, nossos amores, nossos desejos. É muito comum dizer que nossas personalidades são consequências dos orixás que regem nossas cabeças, desenvolvendo características iguais às destes deuses africanos.