Cambones

14/06/2016

Os cambones têm como principal característica o fato de não manifestarem orixás ou entidades espirituais. Em Almas e Angola, os cambones atuam no auxilio às entidades e consulentes, são responsáveis por escrever as receitas que as entidades passam para quem busca auxílio e atender as entidades, entregando bebidas, fumos, velas e todos os outros materiais necessários.

É bastante comum, no ritual de Almas e Angola, os filhos iniciarem seu trabalho como cambones, mesmo os que têm a capacidade de incorporação. Enquanto a mediunidade vai se desenvolvendo, eles ajudam os mais velhos, que já tem a mediunidade desenvolvida. Esse trabalho de ajuda não cessa por completo com o desenvolvimento. Quando não incorporados, todos procuram ajudar aos demais, os mais novos inclusive.

Em geral, são os tradutores da linguagem usada pelo santo. São quase sempre responsáveis por zelar pelos axés dentro da casa. São detentores, como os ogãs, de segredos necessários para a manutenção das energias (axés) dentro da casa de santo.

O cumprimento do que determinam os cambones é uma característica bem marcante, sendo eles bastante respeitados pelos demais médiuns; algumas vezes alguns cambones são considerados autoritários, perfil justificado pela função que ocupam. Quando necessário, têm a permissão do santo para atuar como ogãs, podendo tocar e cantar.

Em muitas casas de santo são eles os cozinheiros do axé; acabam sendo os responsáveis pela comida do santo, algumas vezes atuando como pais criadores, permanecendo junto com os filhos durante o processo de feitura, ou boris (deitada do filho no santo para sua obrigação de cabeça). Como os ogãs, são importantes no que se diz a respeito aos ebós (limpeza espiritual dos filhos), sendo algumas vezes mais necessários que os próprios ogãs.